Curvas da Vida

Te conhecerei?
Te conheceria?
Quem sabe...
A vida costuma guardar muitas cartas na manga,
Talvez eu esteja cruzando uma esquina,
E te encontre.
Talvez eu esteja passeando,
Fazendo umas compras...
Sei lá!
Quem sabe apenas entrando numa loja,
Comprando mantimentos num supermercado,
E eu te encontre.
Talvez eu esteja doente e você cuide de mim...
Quem é que sabe?
Quem é que entende?
A vida tem muitas surpresas,
Basta termos a sensibilidade de perceber os detalhes que ela nos envia,
Se pararmos para pensar,
Ela acontece a cada segundo,
A cada momento,
O que nos basta é percebermos que ela está acontecendo,
Em um simples levantar,
Em um simples respirar,
Em um simples dizer:
- Hein, eu estou aqui! Eu estou vivendo...
Curta mais a vida,
Felicite-se mais,
Se acaso for necessário, chore mais,
Põe para fora tudo o que causa sufoco em seu interior,
Deixe a alma transparecer através de seus olhos.
Porque mais cedo ou mais tarde,
Ela passará,
E você não terá mais tempo de fazer mais nada,
Pois o tempo é imperdoável em sua contagem de segundos.
Gabi Alves

Viagem Interplanetária

Cansada de estar na Terra,
Resolvi dar uma volta pela Galáxia,
Contemplar de perto a formosura
De toda esta esplêndida Via Láctea.
Passeei por Júpiter,
Naveguei entre as estrelas,
Sai fugida de Marte,
(Acho que não aprovaram a minha arte!)
Saltitei entre Mercúrio, Vênus, Urano, Netuno e Plutão,
Mas foi nos anéis de Saturno que finalmente encontrei
O descanso que tanto buscava
O meu pobre coração.


Gabi Alves

Reaprendendo A Aprender

Para cada um de nós existe um plano maior,
O mundo não seria o mesmo
Se não houvesse guerra e paz;
Infelizmente, a paz sempre só foi alcançada
Após inúmeras batalhas.
A vida não seria vida,
Se não existisse a vida e a morte,
Chegada e partida...
Nascemos, crescemos, vivemos,
Corremos em busca de tesouros em vão,
Pois tudo um dia se acaba,
Tudo um dia se evapora,
Assim como voam  tristes folhas ao vento...
Esse será o nosso fim,
Mais cedo ou mais tarde,
Dependendo do que está selado no destino de cada um,
Chegará o nosso dia de partir para junto das estrelas...
Toda a nossa luta constante não terá nenhuma importância,
Nem mesmo momentos felizes
Poderemos carregar como bagagem...
Amamos tanto em vida,
Nos iludimos, nos encontramos,
Nos perdemos e nos encontramos de novo...
Talvez esse seja o sentido da vida,
Amar, esquecer, tornar a amar,
Casar-se, construir uma família,
Criar, educar,
Ver nosso pequeno anjo crescido,
E um dia, num nublado triste dia,
O mundo nossa lembrança já terá esquecido,
Pois há muito tempo já  teremos partido...

"A nossa vida é uma só. Que possamos amar, chorar, cair, levantar, crescer, aprender e reaprender com nossos próprios  erros, antes que as luzes se apaguem e a cidade se perca no silêncio."


Gabi Alves

Poesia NÓS

Em teus braços
Me aqueço
Teu calor
Me enlouquece
Em teu cheiro
Me perco
Teu toque
Me estremece
Teus beijos
Me alucina
Tuas mãos
Me dominam
Teu colo
Me acalenta
Teu olhar
Me orienta
Tua voz
Me seduz
Teu corpo
Me possui

 Texto publicado na Coluna do Viva Feira

SINESTESIA - Dicionário Poético


Meu Boto-Cor-De-Rosa

Na escuridão de meu quarto,
Coloquei-me a pensar em ti,
Vi um vulto, porém sem susto,
Era você, veio até a mim.

Pegou-me em teus braços,
Despiu-me, não abri a boca,
Tocou-me carinhosamente,
Teus toques deixaram-me louca.

Teu doce cheiro de alga,
Do fundo, de profundas águas,
Atraíram minhas entranhas,
Entreguei-me sem reclamar,
Sem incômodo algum,
Mesmo sentindo-me um tanto estranha.

Carícias que passeavam por todo o meu ser,
Olhos penetrantes, faziam-me delirar!
Após um tempo, partiu sem ao menos se despedir,
Deixando-me atordoada, de paixão anestesiada.
Quando o dia clareou,
E procurando-te o meu corpo não o encontrou,
Minha mente caiu em si,
Pois fui mais uma que caiu no encanto desse belo galanteador.

Gabi Alves

Preconceito Literário

Caro amigo (a) leitor (a), hoje quero tratar com você sobre um assunto muito pertinente que tem deixado meus pensamentos inquietos. Assim mesmo, em um diálogo face a face, ouso dizer até um pouco informal, perdoe-me se acaso eu deixar transparecer alguma incoerência escrita ou racional, mas preciso desabafar e, sendo escrava, serva eterna das palavras, uma de minhas funções é dar liberdade à escrita, afinal, como já disse anteriormente em um de meus textos, a criatividade possui vida própria.
Quando se trata de escrever, versejar, não existe o certo ou o incerto; o bom ou o ruim; o bonito ou o feio... Há reflexões; há também sensualidade; há ainda aqueles que escrevem sobre flores, jardins, espiritualidade, mas há também os especialistas em contos eróticos.
Quando o escritor (a), poeta/poetisa deixa o coração e a alma tomarem o espaço da mente e das mãos, traz à tona suas criações, tudo aquilo que carrega n'alma.
Nem sempre escreverá sobre as belezas existentes na vida, também tratará sobre assuntos que vagueiam pela sua mente que tiram sua tranquilidade, suas estribeiras...
Mas uma coisa que aprendi durante esse tempo em que estou engatinhando nesse mundo literário, é que quando nós nos colocamos a escrever sobre os espinhos, os desertos, as chuvas e a escuridão, libertamo-nos de todo sentimento sufocante, o que traz alívio ao coração, traz equilíbrio interior...
Existe coisa mais bonita que transformar sentimentos como a tristeza, a solidão, o medo e o receio em algo belo e mágico como é a poesia?
Não devemos impor limites às nossas criações, não devemos por cabresto em nossos versos, devemos deixá-los livres tal feito cavalos selvagens e não como mulas empacadas! Devemos dar liberdade para que a imaginação nasça, cresça, floresça e adquira imortalidade.
Nós temos um prazo de validade, já nossas obras ficarão por aqui para que as futuras gerações as apreciem.
O médico trata do corpo. O poeta trata da alma... Mas quem tratará a dele? Seus versos.


Gabi Alves