Minha primeira paixão

     São tantas coisas que falam sobre isso, que não sabemos no que acreditar. No auge da minha adolescência, eu, Maiara, 17 anos, sonhadora, idealizadora e “estudante praticante” chego à conclusão de que nada é verdade e nada é mentira, tudo o que dizem é relativo.
     “Okay, mas como assim?”, São vários os fatores que influenciam como será a experiência da primeira paixão, como a forma que conheceu, as convergências e as divergências, o “status” de relacionamento de ambos, e principalmente a reciprocidade. Não acredito que um relacionamento dê certo sem que ambas as partes estejam envolvidas.
     “Então, eu gosto de alguém que aparentemente não sente o mesmo por mim, devo desistir?” Não! Claro que há a hora de desistir, mas nada fácil é tão bom, o prazer da conquista é maravilhoso, nunca se deve desistir sem antes tentar, mas a partir do momento em que começa a te fazer mal, a te machucar, prejudicar nas atividades diárias e quando houver mais lágrimas que sorrisos, é o momento de parar.
     Coloque na cabeça que “você deve evitar o que te faz mal”. Esquecer é difícil de fato, mas ocupa a mente, sai com os amigos, lê um livro, escreve, ouve música, canta, e se tiver que chorar? Chore! Bota pra fora, grita, esperneia... O importante é superar. Sentir é inerente ao ser humano.
     “E se der certo?” Aproveita! Já parou pra pensar que: o planeta tem 7 bilhões de pessoas, qual a probabilidade do indivíduo que você está afim gostar de você? Não é querendo jogar um balde de agua fria, mas é pra mostrar que é realmente complicado, é uma loucura esse negócio de se apaixonar. Então, se deu certo, aproveita, ama, beija, abraça, seja parceiro (a), fiel, amante e amiga (o).
     Enfim, a primeira paixão nem sempre dá certo, o que pode acontecer com a segunda... terceira... Quando um sentimento é exagerado (qualquer que seja) perdemos a razão, e a paixão nunca vem em proporções pequenas, vale analisar, refletir e ter cautela... Uma hora dá certo! E quando der, não pense nas diferenças e sim nas similaridades, no que um pode despertar de bom no outro.
Como diz Manuel Bandeira: Qualquer forma de amor vale a pena!! / Qualquer forma de amor vale amar!

Maiara Angels


Nenhum comentário:

Postar um comentário