Meu Boto-Cor-De-Rosa

Na escuridão de meu quarto,
Coloquei-me a pensar em ti,
Vi um vulto, porém sem susto,
Era você, veio até a mim.

Pegou-me em teus braços,
Despiu-me, não abri a boca,
Tocou-me carinhosamente,
Teus toques deixaram-me louca.

Teu doce cheiro de alga,
Do fundo, de profundas águas,
Atraíram minhas entranhas,
Entreguei-me sem reclamar,
Sem incômodo algum,
Mesmo sentindo-me um tanto estranha.

Carícias que passeavam por todo o meu ser,
Olhos penetrantes, faziam-me delirar!
Após um tempo, partiu sem ao menos se despedir,
Deixando-me atordoada, de paixão anestesiada.
Quando o dia clareou,
E procurando-te o meu corpo não o encontrou,
Minha mente caiu em si,
Pois fui mais uma que caiu no encanto desse belo galanteador.

Gabi Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário